24 de julho de 2012

Z.


Eu adoro quando te encontro.

Adoro como você sempre tem uma surpresa, principalmente quando você em si é a surpresa.

Adoro o modo como me olha. Adoro também quando você desvia o olhar de vez em quando, para que não cruze com o meu.

Adoro a paciência com que me espera, e mesmo eu super atrasada, abre um sorriso lindo quando me vê!

Adoro a preocupação que tem comigo, o seu interesse pelas minhas histórias, a sua vontade de sempre falar comigo. Adoro o modo como as conversas fluem. Adoro quando você diz: ''Confio em você."

Adoro todas as nossas conversas, o quanto você é especial, o quanto eu penso em você e o quanto sinto saudades.  

Adoro sermos grandes amigos de infância. Adoro todo o futuro que aos poucos, de alguma forma, se apresenta. E nos apresenta.

Adoro a sua preocupação para não nos distanciarmos de novo.

Adoro quando você teima comigo e quando me dá sugestões do que escrever ou desenhar, e o quanto você se empolga e incentiva tudo isso.

Adoro deixar de ser "eu" e agora ser "nós", de ser "meu" para ser "nosso". 
Adoro o modo com quem o abraço se encaixa. O quanto as mãos se completam e se tornam uma só. 
Adoro o quão apaixonante é seu beijo e falta descomunal que faz o seu carinho todos os dias.

Adoro quando você me manda sms. E quando diz “não/sim senhora...’’, quando teima que sou uma pessoa criativa, quando me chama de "Liedinha", ou de "baixinha" e mais ainda quando chama de “menina jornalista”.

Adoro...

Tudo em você.

E você!




- Atualização em 09 de agosto de 2012.


22 de julho de 2012

Bebê da tia.

Hoje é um dia extremamente feliz. Minha sobrinha, que na verdade é prima, mas eu insisto em ser tia, completa dois aninhos de idade.

Ainda me lembro que fui uma das primeiras pessoas a saber da gestação, do sufoco que foi pra minha família assimilar a idéia, da Kamila barriguda, do chá de bebê e da felicidade enorme quando o telefone tocou com a Ana Paula dizendo "naaaaasceu, Liedinha, naaasceu!!!". No horário de visita bati cartão na maternidade e sabia que aquele bebê com cara de joelho, seria uma das melhores coisas que aconteceu na minha vida.

Eu já disse muito aqui o quanto eu amo ser tia! O quanto adoro as manhas e birras da Madu. Levá-la para passear no shopping, no parquinho (até pagar cinco reais por três minutos de cama elástica), pra comer batatinha do Mc Donalds, sorvete do Cícero, levar pra brincar na beira do mar, dar banho, arrumar o cabelo, escolher a roupa... Como sou feliz sendo tia da Madu, que é o amor da minha vida!

Hoje liguei pra ela e ela conversou direitinho no telefone, parece uma mocinha! Até sabe falar ''Liedinha". Coisa mais linda do mundo!

Te amo muito, meu anjo. Estou sempre por perto, apesar da distância física, não permito que nada de mal te aconteça. Obrigada por ter nascido na nossa família e por trazer tanta felicidade!

Corujisse!

Manhozinha da tia!

Vovô Buuunito!

Puro charme!

Bicão com a Má.
Cada um se diverte como pode! rs.

Fazendo arte e a tia fotografando.

Com a Lelê, amiguinha.



Folia com a Gá!



Estou morrendo de saudades!!!

Nas entrelinhas...

Estou num momento tão especial da minha vida, tão decisivo, às vezes radical, mas acima de tudo muito feliz.

Bom, quem me conhece de verdade sabe que é um tempo de novidades na minha vida, confesso que estou adorando tudo. A vida sempre encontra uma forma de fazer tudo ter sentido e de ser feliz!

Aí vai umas frases (sou apaixonada por frases!) que eu achei no Facebook e adorei!



"Não estou dizendo essas palavras para te atingir, me vingar ou fingir que não estou mais nem aí. Mas eu não sinto mais saudade de você. Procuro no passado o que me fez te querer tanto. Não acho. O encanto acabou, a magia se partiu, tudo ficou bem terminado aqui dentro. Isso antes me entristecia, hoje me deixa com olhar de paisagem. Não sinto nada. Passou. Meu Deus, eu achei que nunca ia passar! Pensei que meu sofrimento jamais teria fim. Mas teve. Um fim bonito. Um fim que não deixa nem saudade." 
(Autor desconhecido)


 "Porque chega uma hora em que você tem que escolher a vida. Eu talvez não saiba bem ainda o que isso significa, mas é claro para mim que a hora dessa escolha é agora, está acontecendo..." (Caio Abreu)

 


Suave na nave!

Ontem estava conversando com o Fábio e quando ele perguntou se estava tudo bem, eu respondi um "suave   na nave" e ele me mandou uma lista com várias expressões desse tipo. Vou decorar algumas e surpreender as pessoas. hahahahahaha

Ahhh e como ele pediu pra avisar, "esse post tem a colaboração de Fábio Zani."

Esperamos que vocês gostem!


Suave Na Nave
De Boa Na Lagoa
Tranquilo No Quilo
Já é No Jacaré
A Pampa Na Rampa
Senta Que é De Menta
Chupa Que é De Uva
Firmão No Busão
De Leve Na Neve
Beleza na mesa
Irado no gado
Na moral no matagal
Legal no bananal
Suavão no camburão
Seguro no muro
Firmose na apoteose
Sem drama na cama
Firmeza na represa
Sossegado no mercado
Tudo em cima na piscina
Td certo no deserto
Relax no durex
Joia na Jibóia
Realiza na briza
Sussa na montanha russa
Relaxa na bolaxa (ou graxa)
Se pá no maracujá
Joinha na prainha
Estranho como um ranho
Se orienta na polenta
Light na night
Tudo em cima na piscina
Bem no armazém
Manero no putero
Demoreba na budega
De boresta na palestra
A brisa no para-brisa
Nice on the ice
Conosco não há enrrosco
Comigo não tem perigo
Ossário no armário
É quente no dente
Se joga no ioga
Relaxado no maxado
De onda na ronda
Se toca na tapioca
No Grau do Bacalhau
Avonts no bronx
De Bobeira na Ladeira
Stayle no Baile
Legal Pacas Lá Em Caraca



(FONTEYahoo! Respostas.)

20 de julho de 2012

Feliz dia do amigo.


(Eu queria tentar dedicar esse post citando o nome de todas as pessoas especiais e que eu considero ou já considerei amigo, mas eu com certeza, pela minha memória ruim, esqueceria de alguém. Decidi então direcionar para algumas pessoas que já estudei no Harmonia, meus amigos que fiz em viagens, meus primos (que são meus amigos desde sempre), algumas pessoas da faculdade e os amigos que são muito próximos de mim. Vou citar o nome de algumas pessoas, mas por favor, sintam-se todos amados e abraçados!)

Em certo momento da vida tive uma das piores experiências que uma pessoa que adora conhecer gente e ter amigos, como eu, pode viver: Ver um amigo morrer. Eu nunca vou conseguir expressar o quão dolorido é esse momento e os tempos seguintes. Quando eu soube do acidente da minha amiga Paloma, todo o filme dos nossos momentos juntas passou na minha cabeça. Fomos felizes demais! Quando sua morte foi confirmada, senti um enorme vazio no peito e na alma. Eu com certeza nunca mais seria uma pessoa completa e realmente nunca mais fui. Amo tanto minha amiga, que aonde quer que ela esteja, só desejo todos os dias, que ela continue sendo muito feliz. Agradeço pela oportunidade de ter vivido com ela os melhores anos da minha adolescência e por ter aprendido tantas coisas boas, mesmo que algumas delas eu só tenha percebido após sua partida. É preciso sorrir e ser feliz em todos os momentos, porque a vida é tão curta e a gente nunca sabe quando ela vai acabar. Um sorriso muda o mundo e incomoda muita gente, mas diz muito mais do que algumas palavras. Quando me dei conta do quanto a vida adulta nos escraviza e nos afasta dos amigos, mas que para encontrar o seu corpo frio e sem vida todos nós abdicamos o dia, eu percebi que eu nunca mais poderia passar um dia sequer sem dizer aos meus amigos e todas as pessoas que eu amo, o quanto eles são importantes pra mim, o quanto o seu sorriso me faz feliz, o quanto a sua felicidade me conforta. E de algum jeito, Palominha seguiu para os mistérios da vida tendo certeza de que penso e sinto tudo isso por ela. Sempre! Não é porque ela não está ao alcance dos meus olhos, que eu não a sinta em muitos momentos da vida. Sei que não estou sozinha.

A maioria das minhas amizades são de anos e se fortalecem cada vez mais. 

Isabella, Jennyfer, Anna Gabriella e Aline, mesmo a gente não se vendo e nem se falando sempre, é muito bom saber que em algum lugar do mundo vocês estão pensando em mim e poder pensar em vocês aonde quer que eu esteja. A amizade e confiança de anos só se fortalece cada vez mais! Pena nós nos deixarmos ser engolidas pela vida adulta. Mas estamos todas vivemos os próprios sonhos. Mesmo de longe tenho acompanhado tudo! Morro de orgulho de vocês!

Tati e Bruna, você são muito especiais. Nos falamos todos os dias e vocês sabem muito mais de mim do que eu. É muito bom saber que durante todo o dia posso compartilhar a vida com vocês. Obrigada pela confiança e paciência sempre! Eu nem lembro mais como era a vida antes de vocês.

Fagner, quantas saudades eu tenho de você! Temos um sentimento que não tem explicação. Algumas coisas acontecem na vida e a gente nem sabe como agradecer, por mais loucas que pareçam. Você está literalmente “em algum lugar do mundo”, mas está sendo feliz e isso é o que importa pra mim! Estou sempre aqui e você sabe como me encontrar.

Matheus, você é muito mais do que um amigo, mas praticamente um irmão! Acho que até as nossas famílias já perceberam isso. E como eu adoro a sua família também! São tantos anos e tantos momentos da vida juntos, que mesmo que eu escreva aqui, só você e eu saberíamos a intensidade. Os momentos que fomos protagonistas da mesma história, os momentos tristes e de desespero que um telefonema e uma companhia já confortam o nosso coração, mesmo que a gente não consiga dizer nada, apenas chorar juntos ou ver o outro chorar. Você sabe o quanto fico triste por não ter estado ao seu lado num momento tão importante da sua vida, como a passagem do vô Pedro. Mas fico feliz por estar junto com você nos momentos felizes, na platéia, te torcendo e aplaudindo orgulhosamente! Você sabe muito mais de mim do que eu posso imaginar. Sabe tudo que eu penso só pelo jeito que eu olho. Sabe tudo que eu sinto, só pelo tom da minha voz. Como viver sem poder te telefonar quando o mundo parece desmoronar na minha cabeça?

Fábio, o mais antigo de todos os amigos! Preciso dizer que te reencontrar após anos e anos, tem sido muito legal. É incrível ver o quanto você continua igualzinho a aquele Fábio meu melhor amigo da primeira série. A fisionomia, os gostos, as manias! Mesmo que eu vivesse mais um 50 anos sem falar com você, seria impossível te esquecer. Mas como sempre digo, ainda bem que você me encontrou! Estou adorando! Obrigada por tudo.

Primos, vocês são tudo pra mim! Obrigada por 19 anos de amizade louca e sincera. É tão legal ver o quanto crescemos e amadurecemos juntos. É um orgulho enorme saber que vocês são meus grandes  amigos e a minha família. Vocês, mais do que todos os meus amigos conseguiram perceber o divisor de águas que foi o ano de 2011 pra mim e o quanto ele me fez bem enquanto ser humano. Adoro saber que tudo isso faz vocês felizes também! Amo muuuuuito vocês e estou aqui para o que der e vier sempre!

De modo geral estamos todos não nos vendo tanto quanto gostaríamos, mas estamos todos realizando os sonhos, conquistando os próprios objetivos, crescendo, aprendendo sobre a vida e por isso sinto um orgulho imenso de vocês! Também pelas pessoas que vocês são e sei que podem alcançar tudo que desejam. Estou sempre torcendo muito! Não apenas hoje, mas sempre, eu tenho dito o quanto todos vocês são especiais.
Obrigada por tudo! Vocês ficam para assistir o fim de cada história, e tenho certeza de que ficarão por toda a vida.

Amo muito vocês.



16 de julho de 2012


Olho para trás e não consigo ver a felicidade que vivo agora. Aprendi que os conselhos das pessoas mais velhas, são mais valiosos que o ouro – tenho seguido eles, mesmo que a principio contra minha vontade, mas no final tem valido muito a pena e consigo ver que era mesmo a melhor coisa que poderia me acontecer. Tenho ao meu lado uma família maravilhosa. Amigos que estão comigo até quando eu não mereço o carinho deles. Pessoas especiais que eu amo, que me amam e que confiam em mim, no que sou, no que posso conquistar. 

A única relação que mantenho com o passado é: Tudo que sou hoje, é resultado do ontem. Sei quais erros não cometer de novo. Sei aonde ir para ser feliz. É só isso. Tenho um orgulho tremendo de ser quem sou, porque quem me conhece de verdade, sabe que não é fácil. Adoro todos os erros e os acertos que já tive na vida. As escolhas que fiz, mesmo tendo que encarar as conseqüências.

Mas eu tenho seguido em frente sempre. Enfrentando tudo e todos. Sempre como objetivo de continuar sendo todos os dias, a pessoa mais feliz do mundo. 

Eu nem sei como agradecer pela vida maravilhosa que eu tenho.

+15

Já estou no meio das minhas férias da facul. Mesmo saindo fora do planejado, está sendo ótimo. Família e amigos, obrigada sempre!

Tenho muuuuuuuuuitas novidades sobre essas férias, mas conto tudo num post no final do mês. Até pq, ainda tem muuuuuita coisa pra rolar. Tô amando!

Uma prévia...

Eu e meu melhor amigo do mundo, Matheus.

Só os fortes entenderão a foto!

Depois eu conto tudo!!!!

Beijoks,
Li.

11 de julho de 2012

Pq os amigos morrem?


Fui acordada com uma ligação muito triste: Uma pessoa que gosto e admiro, havia falecido. Por alguns minutos eu não sei nem expressar o vazio enorme que senti. A vontade de abraçar algumas pessoas. 

O Julinho foi uma das primeiras pessoas que eu conheci da família do Tiago e me apaixonei de cara, também por ser amigo da minha mãe e já saber que ele era uma pessoa muito bacana.

Em um ano de namoro no Brasil, o Ju se tornou muito mais do que o primo do meu então namorado. Ele se fez meu amigo, cúmplice, companheiro. Todas às vezes em que eu ia pra Pereira, ele ia me ver, fazia uma comidinha gostosa (cozinhava como ninguém!), conversamos sobre os bafos, trocávamos conselhos, experiências e segredos.

Sempre o admirei muito pela coragem de se assumir o tempo todo. De ter certeza de quem ele era e se impor. Apesar de sofrer todos os preconceitos que os homossexuais enfrentam nesse país, sempre encarou a vida com belos, porém tímidos sorrisos. Sempre fazendo um comentário ácido, mas acima de tudo, bom humor. 

Me apaixonei pelo Ju e ele, devo confessar, foi uma das coisas boas que restou desse namoro. Sua amizade e confiança foi um presente. Mesmo estando triste por uma perda lamentável, ao mesmo tempo estou tranqüila por saber que ele foi uma pessoa muito feliz e é muito amado. Sei que ele não gostaria que fizéssemos da sua passagem, um fim, um momento triste. Por isso tenho encarado como uma passagem para um plano mais feliz, e ele merece toda felicidade que existir.

Nos encontramos no último carnaval e fiquei muito contente por vê-lo de novo depois de um tempão. Acredito que ele sabia o quanto gosto dele e o quanto também vou sentir muitas saudades.
Só posso agradecer pela amizade, a confiança, os segredos compartilhados, os conselhos, toda a sua sabedoria pra lidar com a vida e por ter tido a oportunidade de compartilhar tudo isso.

Ju, nossas fofocas, os segredos, seus sorrisos, e até a sua janta maravilhosa vão fazer falta. E agora, pra quem vou dar meus shorts curtinhos? 

Obrigada por me permitir compartilhar da sua vida.
Transcenda em paz, meu querido. Foi um prazer enorme te conhecer!

Tenha certeza de que sempre vou direcionar orações e boas vibrações pra você. Aonde quer que você esteja, permanecerá com meu carinho, no meu coração. 

Se eu pudesse me despedir de você, daria um beijo enorme, um abraço, diria “obrigada!” e pediria que você seguisse os mistérios da vida em paz. Paz! 

Seja feliz.

Com muito carinho,
Lieda Gomes.

- 10 de Julho de 2012.

Julinho, todo produzido e arrasando sempre.

7 de julho de 2012

Namore uma garota que...

Namore uma garota que gasta seu dinheiro em livros, em vez de roupas. Ela também tem problemas com o espaço do armário, mas é só porque tem livros demais. Namore uma garota que tem uma lista de livros que quer ler e que possui seu cartão de biblioteca desde os doze anos.
Encontre uma garota que lê. Você sabe que ela lê porque ela sempre vai ter um livro não lido na bolsa. Ela é aquela que olha amorosamente para as prateleiras da livraria, a única que surta (ainda que em silêncio) quando encontra o livro que quer. Você está vendo uma garota estranha cheirar as páginas de um livro antigo em um sebo? Essa é a leitora. Nunca resiste a cheirar as páginas, especialmente quando ficaram amarelas.

Ela é a garota que lê enquanto espera em um Café na rua. Se você espiar sua xícara, verá que a espuma do leite ainda flutua por sobre a bebida, porque ela está absorta. Perdida em um mundo criador pelo autor. Sente-se. Se quiser ela pode vê-lo de relance, porque a maior parte das garotas que leem não gostam de ser interrompidas. Pergunte se ela está gostando do livro.

Compre para ela outra xícara de café.
Diga o que realmente pensa sobre o Murakami. Descubra se ela foi além do primeiro capítulo da Irmandade. Entenda que, se ela diz que compreendeu o Ulisses de James Joyce, é só para parecer inteligente. Pergunte se ela gosta ou gostaria de ser a Alice.
É fácil namorar uma garota que lê. Ofereça livros no aniversário dela, no Natal e em comemorações de namoro. Ofereça o dom das palavras na poesia, na música. Ofereça Neruda, Sexton Pound, cummings. Deixe que ela saiba que você entende que as palavras são amor. Entenda que ela sabe a diferença entre os livros e a realidade mas, juro por Deus, ela vai tentar fazer com que a vida se pareça um pouco como seu livro favorito. E se ela conseguir não será por sua causa.

É que ela tem que arriscar, de alguma forma.
Minta. Se ela compreender sintaxe, vai perceber a sua necessidade de mentir. Por trás das palavras existem outras coisas: motivação, valor, nuance, diálogo. E isto nunca será o fim do mundo.

Trate de desiludi-la. Porque uma garota que lê sabe que o fracasso leva sempre ao clímax. Essas garotas sabem que todas as coisas chegam ao fim. E que sempre se pode escrever uma continuação. E que você pode começar outra vez e de novo, e continuar a ser o herói. E que na vida é preciso haver um vilão ou dois.

Por que ter medo de tudo o que você não é? As garotas que leem sabem que as pessoas, tal como as personagens, evoluem. Exceto as da série Crepúsculo.

Se você encontrar uma garota que leia, é melhor mantê-la por perto. Quando encontrá-la acordada às duas da manhã, chorando e apertando um livro contra o peito, prepare uma xícara de chá e abrace-a. Você pode perdê-la por um par de horas, mas ela sempre vai voltar para você. E falará como se as personagens do livro fossem reais – até porque, durante algum tempo, são mesmo.
Você tem de se declarar a ela em um balão de ar quente. Ou durante um show de rock. Ou, casualmente, na próxima vez que ela estiver doente. Ou pelo Skype.
Você vai sorrir tanto que acabará por se perguntar por que é que o seu coração ainda não explodiu e espalhou sangue por todo o peito. Vocês escreverão a história das suas vidas, terão crianças com nomes estranhos e gostos mais estranhos ainda. Ela vai apresentar os seus filhos ao Gato do Chapéu [Cat in the Hat] e a Aslam, talvez no mesmo dia. Vão atravessar juntos os invernos de suas velhices, e ela recitará Keats, num sussurro, enquanto você sacode a neve das botas.

Namore uma garota que lê porque você merece. Merece uma garota que pode te dar a vida mais colorida que você puder imaginar. Se você só puder oferecer-lhe monotonia, horas requentadas e propostas meia-boca, então estará melhor sozinho. Mas se quiser o mundo, e outros mundos além, namore uma garota que lê.

Ou, melhor ainda, namore uma garota que escreve.

[Rosemary Urquico]


6 de julho de 2012

04 de Julho de 2012: Corinthians libertado.

Um dia muito especial para nós, corinthianos. Um bando de loucos!


Coincidentemente, o dia da final da Libertadores era o mesmo em que eu fui conhecer o Museu do Futebol, no Pacaembu.



Durante a visita, tive a oportunidade de ver o Victor Valdés, goleiro do Barcelona e da seleção espanhola, dando entrevista para o programa Deu Olé, da Band, com o Felipe Andreolli - um fofo, mas que eu já havia conhecido no CQC no ano passado.

Eu que sou apaixonada pelo jornalismo e que adoro entrevistas, morri de vontade de conversar com o Valdés também. Ele é um gatíssimo! Lindo mesmo, e muito simpático. Até me deu um olhar 43 que até perdi o rumo - e olha que eu nem sou dessas meninas que querem ser Maria Chuteira.


Valdés, lindinho!
O museu conta muitas coisas bacanas da história do futebol e dá bastante ênfase para a vida de Charles Miller, que trouxe o esporte ao Brasil. Coincidentemente também, o escritor da biografia que recebe o nome de "Charles Miller, o pai do futebol", o senhor John Mills, estava no Museu também. Um senhor de idade bem avançada, simpático e que por estar no Brasil há tantos anos, já fala um bom português. Se apresentou a nós, contou particularidades de Charles Miller e eu tive muita vontade de registrar esse super encontro com uma foto, mas infelizmente estávamos numa área do Museu onde não são permitidas fotos. Mas valeu, adorei!

Preparando o Pacaembu para o jogo da noite.



E a noite, jogo da final da Libertadores 2012! Eu, como jornalista e corinthiana, não tenho como explicar o quanto eu gostaria de cobrir ao vivo essa final, porque independente do resultado já era uma emoção enorme.

Com uma vitória tão legal e tanta expectativa para essa Libertadores, desci para a galera e fui comemorar com os corinthianos que fecharam a minha rua com o bar do Bando de Loucos que tem aqui na esquina. A galera vibra e emociona. Incrível, surreal, apaixonante!





Os corinthianos  piiiraaam!
Depois que o jogo acabou a noite ainda foi loooonga, mas não convém. Em breve terei novidades importantes!

E daqui alguns anos, quando relembrarem a primeira Libertadores do Corinthians e perguntarem aonde eu estava nesse dia, direi:

"Feliz da vida no Pacaembu, me divertindo com a organização para o evento, paquerando o Valdés goleiro do Barça, me encantando com John Mills, gritando muito pra comemorar os gols e pirando no meio da galera, comemorando o título. Muito feliz!"

E a felicidade é o que importa! =)

Vaaaaaleu timeeee!!!